Por que aplicar cultura data driven no seu negócio?

Você sabe o que é cultura data driven? Em tradução livre, o termo representa as organizações que pautam o planejamento estratégico e o processo de tomada de decisão de uma ou diversas áreas da organização por soluções geradas por análise de dados.

Seja através de talentos ou com o uso de ferramentas, grandes empresas têm focado os seus esforços para estruturar uma cultura baseada em dados nas suas rotinas. 

Por que tomar decisões apenas com base na observação quando é possível analisar uma infinidade de dados que geram informações muito relevantes sobre a sua organização?

O avanço da tecnologia permitiu que todos os dados gerados por uma empresa sejam armazenados e analisados para criar informações úteis nas ações decisórias do gestor. 

A limitação humana em relação ao volume de dados e a velocidade de processamento ficou para trás com a migração dos processos internos para o mundo digital – afinal, um computador possui uma ótima capacidade de lidar com esse grande volume de informações disponíveis.

Tecnologia, pessoas e processos estão presentes fortemente no desenvolvimento de uma cultura data driven. Nesse contexto,as empresas brasileiras que conseguem se atualizar às novas tendências saem na frente das demais no mercado.

Ao longo deste artigo entenderemos melhor o que é cultura data driven e por que a sua empresa deve usar dados de clientes a seu favor. Confira!

Cultura Data Driven: o que um CEO precisa saber?

Compreender o que é data driven e o seu crescimento não é uma tarefa muito complicada. 

Nos últimos anos, tornou-se mais barato e mais simples lidar com grandes quantidades de dados e extrair informações úteis para a empresa — permitindo que as empresas consigam emplacar grandes saltos no seu desempenho.

Imagine que você tenha um e-commerce de artigo de informática e esteja na busca constante de potencializar os resultados. 

Com base nos dados coletados, é possível descobrir muitas informações que podem ajudá-lo a maximizar as vendas: 

  • produtos mais acessados pelos visitantes; 
  • principais fontes de origem de tráfego; 
  • melhor layout para gerar uma boa experiência ao consumidor; 
  • eficiência das ações de publicidade online; 
  • entre diversas outras.

Em vez de basear-se exclusivamente na observação para tentar compreender quais são os produtos que mais atraem os consumidores, você tem dados que conseguem levar a essa informação de forma mais simples e mais precisa. Isso é gestão data driven!

Tanto número de acessos na página de cada produto, quanto número de produtos vendidos no período ou menções aos produtos nas mídias sociais podem fazer parte da cultura data driven.

Dessa forma, mais importante ainda do que entender como essa cultura pode gerar vantagens é compreender como a análise dos dados é o futuro das empresas. Estimava-se que em 2020, o universo digital acomodaria 40 trilhões de gigabytes de dados— resultado de um volume de dados que mais que dobra a cada dois anos.

Quais os 3 elementos essenciais de uma cultura dirigida por dados?

Para garantir que uma cultura data driven alcance resultados satisfatórios, existem 3 elementos essenciais que devem ser observados. Veja quais são eles:

  1. Promover a democratização dos dados

O primeiro passo na aplicação de uma gestão data driven é democratizar seus dados, tornando-os prontamente disponíveis, compreensíveis e transparentes em toda a organização. Afinal, todos os funcionários precisam estar engajados nessa orientação por dados.

  1. Garantir a Qualidade dos Dados

Você não pode ter uma cultura orientada por dados se seus dados não forem consistentes, precisos e confiáveis. Portanto, garantir a qualidade dos dados é fundamental para alcançar os resultados esperados por meio do processo de ETL. 

E o que é ETL? 

ETL — cuja sigla significa extração, transformação e carregamento (Loading) — é um processo de integração de dados que faz a transição, limpeza e otimização de dados de várias fontes diferentes para um armazenamento final centralizado

  1. Governança de Dados

Para esclarecer o que é cultura data driven é importante deixar claro que qualquer organização que se esforça para ser orientada por dados deve começar com uma base de governança de dados

A empresa precisa criar um fluxo de dados e educar os colaboradores para que essas informações sejam tratadas corretamente. Esse processo inclui o estabelecimento de políticas e processos em torno dos ativos de dados — bem como propriedade e responsabilidade.

Por que as organizações estão cada vez mais “data driven”?

Depois de entendermos melhor todas as vantagens de trabalhar com uma orientação por dados, não é muito difícil compreender por quais razões as organizações estão cada vez mais “data driven”, não é? Todas as vantagens competitivas devem ser aproveitadas ao máximo para potencializar os resultados.

Porém, existe um outro fator que deve ser considerado para compreender essa forte tendência: lidar com dados está cada vez mais fácil e com custos menores. Todas as ferramentas digitais e informações que estão à disposição tornam mais viável a aplicação de uma cultura baseada em dados.

Exemplos de cultura data driven: Itaú e Netflix

Visualizar o papel de uma cultura data driven se torna mais fácil quando analisamos exemplos reais de empresas que obtiveram sucesso com base na análise de dados, certo? Separamos dois ótimos exemplos para você: Itaú e Netflix.

O banco Itaú promove um projeto chamado Batalha de Dados — que é um desafio que reúne vários talentos para desenvolver soluções inovadoras com o uso de dados. 

Entre os processos internos que já foram melhorados com base no uso dos dados estão o entendimento do contexto do cliente para melhorar a comunicação e a extração de informações sobre como fazer a melhor oferta do programa de fidelidade dos seus cartões de crédito.

A Batalha de Dados do Itaú é um hackathon de dados com duração de 30 horas e é um bom exemplo ilustrativo para entender o que é data driven por meio de uma ação de uma empresa.

 A proposta do evento é reunir profissionais que acreditam que dados e analytics podem resolver problemas sociais relevantes. 

Para alcançar essa finalidade, a Batalha de Dados reúne diversos apoiadores — como a Oncase, que patrocina e participa do evento com a mentoria dos participantes.

O caso do Itaú é uma forma econômica e eficaz de como fidelizar clientes. Criando o mapa de jornada do cliente, prática fundamental para orientar a tomada de decisão da equipe de venda na oferta de produtos/serviços aos possíveis consumidores. 

Já a Netflix consegue ilustrar perfeitamente como uma empresa orientada por dados consegue fazer sucesso e gerar engajamento. Muito mais do que uma empresa de séries e filmes, a Netflix é uma empresa de dados. 

É através da análise dos dados que são criados roteiros, personagens, trailers, artes visuais e indicações personalizadas para o público, por meio de um sistema de recomendação inteligente e automatizado.

Intuição e experiência não contam mais?

Após estudar todos os resultados que podem ser obtidos com uma cultura data driven, muitos empreendedores chegam a um mesmo questionamento: a intuição e a experiência não contam mais no momento de gerenciar uma empresa?

O grande desafio na gestão empresarial passa a ser integrar todos esses fatores na gestão: dados, intuição e experiência. Em muitos casos, apenas uma análise dos dados consegue mostrar o melhor caminho, porém, ainda existem várias situações que requerem intuição e experiência na decisão final.

Dicas para aplicar uma cultura data driven na sua empresa

A empresa NGData reuniu diversos especialistas em cultura data driven para dar dicas de aplicação dessa cultura em uma organização. Separamos as principais dessas recomendações dos profissionais para uma gestão data driven:

  • Meça tudo o que pode ser quantificado — mesmo que você ainda não consiga analisar esses dados com precisão;
  • Guarde os dados mesmo que nenhum uso conhecido exista atualmente;
  • Compreenda que, sem dados, você é simplesmente outra pessoa com uma opinião;
  • Os dados devem ser usados em toda pesquisa que define o tom da sua empresa;
  • Não tome qualquer decisão sem uma boa pesquisa baseada em dados;
  • Certifique-se de que você consegue entender e conectar seus dados — integrando informações de toda a organização;
  • Crie etapas para que todos saibam o que podem fazer individualmente para melhorar o trabalho com os dados;
  • Seja paciente para aplicar uma mudança na cultura da empresa. As pessoas precisam compreender como o uso de dados é benéfico para elas e para a empresa.

O sucesso da sua empresa está na Inteligência de Dados!

Como implementar uma cultura data driven na sua empresa?

O primeiro passo para uma gestão data driven é investir numa ferramenta eficiente para análise inteligente de dados.

É neste contexto que surge o Scora Journey, uma plataforma de inteligência de dados bastante sofisticada, mas de manuseio simples para usuários não técnicos.

Dentre as principais características da ferramenta, estão:

  • comparar performances de campanhas de vendas atuais com antigas;
  • a partir da base de dados, oferecer lista de recomendação de clientes que poderiam se beneficiar da mesma oferta de produto ou serviço;
  • criar  uma lista de leads (clientes em potencial) fora da base de dados da empresa;
  • fornecer um big data com histórico detalhado de clientes específicos para comparar com o comportamento de outros similares;
  • aferir dados geográficos e performances de engajamento de produtos ou serviços anteriores, embasando assim insights para orientar os próximos passos

Portanto, uma empresa que toma decisões baseada em dados possui condições de extrair informações muito úteis para alcançar novos patamares no mercado – conseguindo aumentar a sua eficiência na abordagem ao cliente e otimizar rotinas internas. O Scora Journey é um aliado e tanto nesse processo!

Se quiser se aprofundar mais no assunto e melhorar os indicadores de venda, converse com um especialista da Oncase para avaliar uma solução inteligente para o seu negócio.

Esperamos que tenham gostado do conteúdo! O  sucesso da sua empresa passa por entender o que é cultura data driven eficiente e integrada e fazer sua implementação! Para mais artigos sobre inteligência de dados como esse, continue acompanhando o conteúdo do nosso blog.

Henrique Tavares
Henrique Tavares

No Comments

Write a Reply or Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *